As mulheres grávidas vivenciam mudanças fisiológicas e estruturais no seu corpo durante todos os meses da gestação que refletem no seu dia a dia. Acredita-se que o tratamento através da Osteopatia, ao cuidado padrão das mulheres grávidas tem o papel na regularização das funções do organismo e na melhora da qualidade de vida para que o corpo se adapte as mudanças provocadas pela gestação. Em estudos, já foi comprovado que a Osteopatia pode inibir a dor em mulheres grávidas, mantendo a estrutura do corpo apropriada. Também, através da conexão viscerosomatica, as mudanças hemodinâmica do corpo materno podem ser controladas, a duração do trabalho de parto reduzida, e as complicações evitadas.

 

A filosofia da Osteopatia centra-se sobre a unidade de todas as partes do corpo e do princípio que a estrutura e a função estão relacionadas. Na Osteopatia acredita-se que nossos sistemas do corpo dependem um do outro para funcionar, e que a manutenção do corpo em seu alinhamento apropriado melhora sua capacidade.

 

O tratamento osteopático envolve o exame do paciente de forma global para identificar e diagnosticar as cadeias lesionais, e assim definir o tratamento. O atendimento é individualizado, constituído por manobras específicas de mobilizações e manipulações articulares, técnicas musculares, ligamentares, visceral e craniana. Geralmente as sessões de osteopatia ocorrem na frequência de uma vez por semana, podendo obter resultados como alívio da dor e melhora da mobilidade a cada sessão.

Por Bruno Borges.