O que fazer de atividade física na gestação?

Algumas modalidades são recomendadas, confira:

  • Caminhada: ideal para gestantes pois melhora a capacidade respiratória, o condicionamento físico, a circulação e fortalece a musculatura das pernas.
  • Hidroginástica: excelente opção pois tonifica a musculatura, melhora capacidade ventilatória pulmonar, previne e alivia o inchaço, além de não causar impacto nas articulações frágeis da grávida.
  • Ginástica localizada: fortalece as articulações, aumenta a capacidade respiratória, melhora a circulação, tonifica a musculatura, ajuda a corrigir a postura, melhorando assim a dor nas costas.
  • Ioga: trabalha corpo e emoções, aumenta força e flexibilidade, alivia ansiedade.

 

Outras são permitidas:

  • Pilates: trabalha musculatura das costas, do abdome e do assoalho pélvico, melhorando a postura. Os exercícios respiratórios auxiliam no controle da ansiedade.
  • Alongamento: aumenta a flexibilidade, melhora a respiração e ajuda a controlar a ansiedade.
  • Musculação: não recomendada para iniciantes. Se já fazia antes da gravidez, não há contra-indicação para uso de pesos leves. Os exercícios devem ser adaptados para gestantes.
  • Corrida: só permitida para quem já praticava antes da gestação, mas converse com seu médico sobre a prática no primeiro trimestre. Cuidado com aumento de temperatura corporal e desidratação.
  • Bicicleta Ergométrica: liberada!
  • Natação: tonifica musculatura, melhora a resistência e ajuda a controlar o ganho de peso. Apenas evite estilo peito e borboleta. Nade estilo crow e costas, de preferência.

 

Contra-indicadas:

  • Luta;
  • Step;
  • Exercício de alto impacto;
  • Tênis;
  • Esqui;
  • Mergulho;
  • Surfe;
  • Equitação;
  • Futebol, vôlei e basquete.

 

Quando interromper o exercício?

  • Dor na barriga;
  • Sangramento vaginal;
  • Perda de líquido vaginal;
  • Dor de cabeça forte;
  • Dor no peito;
  • Tontura;
  • Alteração visual;
  • Redução dos movimentos do bebê;
  • Temperatura acima de 38°C;
  • Náuseas ou vômitos;
  • Contrações uterinas;
  • Falta de ar;
  • Palpitações.

Por Dra. Patrícia Varanda.